Aos amigos leais

Com pouquíssimas pessoas tive a sensação de segurança plena. Eu sabia que ao lado desses raros diamantes estaria segura. Não por acreditar que eles nunca me machucariam. A segurança era exatamente ao contrário, quando fosse necessário, a verdade seria dita.

A segurança era exatamente essa, a verdade. Não aquela inventada para me proteger, mas aquela que eu precisava saber. Eu sei que, mesmo doendo ou não, eles me falariam. Se as lágrimas fossem de tristeza ou alegria, eles me abraçariam.

Eu sei que eles jamais inventariam estórias e mesmo a verdade mais dolorida, seria dita com tanta bondade que se transformaria numa pérola de sabedoria. Eu não me sinto segura com estórias bem contadas, mesmo as que são para não me machucar (na verdade, elas são mais para proteger quem conta do que quem ouve).

Eu gosto é da verdade nua e crua, mesmo aquela que me dilacera. Apesar de me machucar, ela também me liberta.

Escrito em 15/04/2013

Por Júlia Miguel

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s