A solidão de sentir

Deparo-me com a solidão dos pensamentos quando me defronto com o outro e por um lapso de segundo não sei quem sou. O que me assusta não é estar só, comigo mesma. Enxergo-me e me olho intensamente e isso me dá segurança: Eu sei quem sou. Posso ver meus medos e amá-los e odiá-los como parte de mim. O que me assusta é me perder no outro e assim, me perder de mim. O coletivo me espanta…é ele que me distrai. O que me mata é não saber de mim e é isso que faz com que eu deixe de existir. E sozinhos somos sempre, pois, carregamos o fardo de sermos únicos frente ao existir e por mais que compartilhamos nosso pensamento, cada um é que sabe como foi o processo de sentir. Então, a solidão é inerente, pois, é possível falar, porém, o sentir é solitário, sempre… Podemos até tentar nos esconder no meio da multidão, mas, a dor de sentir, te acha, esteja onde estiver…. Esconder-se de si e se perder na multidão, é a forma mais lenta de deixar de existir…Morre-se aos poucos fundido no outro…

Por Júlia Miguel, escrito em 31/05/2012

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s